Médicos na Austrália pediram investigação urgente para entender por que uma úlcera causada por uma bactéria comedora de carne humana tem se tornado epidêmica no estado de Victoria. Casos de Úlcera de Buruli, uma doença de pele mais comumente encontrada na África, aumentaram 400% nos últimos quatro anos, dizem especialistas.

Vítima da doença: preocupação. Foto: Daniel O’Brien
Vítima da doença: preocupação. Foto: Daniel O’Brien

As infecções também ficaram mais graves e se espalharam para novas áreas. Os médicos não sabem como prevenir a doença, que é causada por uma bactéria.

O estado registrou um recorde de 275 novas infecções no ano passado, o que representa um

aumento de 51% em relação a 2016.

Daniel O’Brien, especialista em doenças infecciosas, afirma que casos da úlcera, provocada pela bactéria Mycobacterium ulcerans, se tornaram “assustadoramente mais comuns e mais severos” na região.

“Não ficou claro por que a úlcera, normalmente encontrada em áreas tropicais, apareceu no clima temperado de Victoria”, disse ele.

Em um texto publicado no Medical Journal of Australia, médicos pediram financiamento do governo para pesquisar a doença e suas causas. “Ninguém entende o que está acontecendo e o que está motivando esta epidemia”, disse O’Brien, coautor da publicação.

A doença é mais frequente na zona rural da África Ocidental, África Central, Nova Guiné, América Latina e regiões tropicais da Ásia.